ADUnB cria Tesourômetro para fiscalizar cortes na Educação

A Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) vai inaugurar,  na quarta-feira (9), às 17h, em sua sede (SQN 608), o painel eletrônico que mostra, minuto a minuto, o impacto em reais dos cortes de financiamento federal para a ciência, tecnologia e humanidades desde 2015, tendo como referência o Orçamento da União daquele ano.

Terceiro

A abertura da mesa sobre o tema contará com representantes da ADUFRJ, APUBH, SBPC e ABC. O painel, batizado de Tesourômetro, é o terceiro no Brasil. Os outros dois estão na Universidade Federal do Rio de Janeiro (Praia Vermelha); e na Universidade Federal de Minas Gerais (Pampulha).

R$ 8 mil por minuto

De acordo com os cálculos do economista Carlos Frederico Leão Rocha, professor do Instituto de Economia da UFRJ, os cortes deste ano serão de R$ 4,3 bilhões. Isto significa uma perda de R$ 12 milhões por dia, R$ 500 mil por hora ou R$ 8 mil por minuto. Ou seja, cerca de 50% do financiamento para a produção de conhecimento em dois anos.

Campanha

A ação faz parte da campanha Conhecimento Sem Cortes, uma mobilização promovida por professores universitários, cientistas, estudantes, pesquisadores e técnicos em oposição à redução dos investimentos federais nas áreas de ciência, tecnologia e humanidades e ao sucateamento das universidades públicas e dos institutos de pesquisa no Brasil. O objetivo é monitorar e denunciar os cortes de orçamento e suas consequências negativas para a sociedade, e sensibilizar a população para o que se produz nas universidades e nos institutos de pesquisa.

Deixe um comentário