Acordem! A Nova Ortografia já é oficial!

É fato: o Decreto Nº 6.583, de 29 de setembro de 2008 – também conhecido como O Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa –, entrou em vigência plena em 1º de janeiro de 2016. Passamos SEIS ANOS nos adaptando às novas regras; o surpreendente é, todavia, ainda nos sentirmos desamparados quanto a esse tema.

O propósito do Novo Acordo Ortográfico é unificar a ortografia dos países integrantes da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). Estão envolvidos Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. A justificativa legal para a adoção dele é dar maior prestígio e notoriedade à língua portuguesa, que é a sexta mais usada no mundo. Todavia, cabe relembrar que o acordo não é tão novo assim. Ele foi assinado pela primeira vez em 1990, mas já era problematizado na década de 70. Esse assunto ficou estagnado por anos! Deseja-se, atualmente, tentar diminuir os problemas da política do nosso idioma.

Vejo, cotidianamente, pessoas afirmarem “eu já não sabia português, e ainda criaram uma nova regra”. A elas, digo: não há o que temer! Apenas cerca de 0,5% da ortografia do português do Brasil foi afetada! O resto (99,5%) não foi alterado! Outro ponto que merece destaque: o acordo é só ortográfico; ou seja, modifica só a forma de escrever. Todas as pronúncias foram mantidas.

A proposta de nova ortografia implementada está longe de ser perfeita. Há diversos pontos questionáveis. Mas isso motivou em parte significativa da comunidade acadêmica uma discussão acerca dos métodos adotados no Brasil para ensinar formalmente a língua portuguesa. Já constatamos que meramente decorar preceitos gramaticais não é a chave; mas também já atestamos que apenas discutir o texto, sem dar atenção às suas unidades funcionais de composição, é um modelo falho. A sociedade cobra medidas urgentes quanto a isso, pois o perfeito entendimento da língua dá ao usuário o pleno entendimento do mundo que o rodeia! Como as pessoas podem compreender tantos outros diversos assuntos, quando estes são expressos por meio do português? O brasileiro quer dominar a língua portuguesa, e o Novo Acordo é um microcosmo linguístico excelente para iniciarmos essa discussão.

Todos nós precisamos conhecer as novas regras ortográficas! E alcançaremos esse objetivo! Semana que vem, daremos mais um passo! Até lá!

 

* Elias Santana – Professor de Língua Portuguesa e Mestre em Linguística pela Universidade de Brasília

Fonte:

Deixe um comentário